A importância da realização de testes de pureza de drogas

Postado por Marllon Gauche em

    Meus queridxs amigxs! A verdade é essa e não podemos negar: as drogas estão presentes na maioria das festas e festivais, utilizadas muitas vezes para potencializar a sensibilidade de nossos corpinhos e elevar o nível de curtição. É claro, você e qualquer outro fritinho deve conhecer seus limites e saber que nada em doses exageradas faz bem para nosso corpo, então não vai ser na balada que você vai passar dos limites, não é mesmo?
 
     Outro ponto muito importante e que já vem sendo discutido há um certo tempo é a realização de testes de pureza em drogas. Sabemos que a cultura do uso de ilícitos está intimamente ligada à evolução do ser humano, tendo em drogas como o ecstasy e o LSD o seu “carro-chefe”, então, mais do que apenas se cuidar, é importantíssimo ter a informação. Pelo mundo, algumas festas e festivais já investem em projetos que prezam pela saúde e conscientização do público, montando instalações que analisam a quantidade e a origem das substâncias presente você-sabe-onde.
 
     Vale reforçar que a utilização de entorpecentes não é uma coisa exclusiva da música eletrônica e que, sim, ela está historicamente ligada ao ser humano desde a época dos mamutes, ou seja, faz tempo a veras. Portanto, para quem acredita que a solução seria ‘acabar com a música eletrônica’ ou mesmo com ‘festivais que estimulam esse consumo’, pode tirar o cavalinho da chuva. A proibição nunca foi eficiente. Instituições e outras marcas devem é investir na conscientização e redução de danos, oferecendo cuidados de emergência dentro dos eventos e até mesmo testes de pureza, como abordamos anteriormente.
 
    Um bom exemplo que pode ser citado é o festival britânico The Secret Garden Party. Lá você caminha pelo gramado e se depara com tendas que te convidam a testar suas drogas, sejam elas ecstasy, cocaína ou ketamina, isso tudo, claro, sem nenhum risco de você ver o sol nascer quadrado. O resultado foi surpreendente. Muitos que fizeram o teste perceberam que suas drogas eram realmente uma droga, impuras e com compostos perigosos para a saúde, e então acabaram sendo descartadas. Isso aconteceu com cerca de 25% das pessoas que realizaram o teste.
 
     Portanto, vamos torcer para que práticas como essa se tornem mais comuns não apenas no exterior, mas também aqui no Brasil, já que essa é uma postura relativamente nova no cenário. Assim, quem opta por fazer o consumo e deixar o organismo fora de seu estado comum, pelo menos vai estar fazendo com conhecimento e com certeza terá cuidado redobrado ao ingerir tais substâncias. Uma decisão tomada com embasamento. Concorda? Compartilha aí com a gente sua opinião, é sempre muito válida.

0 comentários

Deixe um comentário

Os comentários devem ser aprovados antes de serem publicados






/* ]]> */